Agnaldo Timóteo morreu aos 84 anos, vítima de Coronavírus.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O músico, escritor e político Agnaldo Timóteo morreu aos 84 anos,  neste sábado (3 de Abril),  vítima de coronavírus, no Hospital Casa São Bernardo, no Rio de Janeiro. O artista brasileiro já tinha apanhado duas doses da vacina contra a Covid-19 e os médicos acreditam que ele tenha sido infectado no intervalo entre a primeira e a segunda dose.

A notícia da sua morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do artista que, em nota, explicou que ele “não resistiu às complicações decorrentes da doença” e acabou por falecer na  manhã de sábado (3 de Abril)  às 10h45. Agnaldo Timóteo  deixou três filhos biológicos e uma filha  adotiva. 

Natural de Minas Gerais, Agnaldo teve uma variedade de empregos antes de se tornar um músico famoso. Desde muito jovem ele já gostava de imitar vários artistas famosos da sua época tais como Cauby Peixoto, Anísio Silva e Adilson Ramos. Nascido de uma família modesta, aos 9 anos já trabalhava para poder ajudar a família em casa, distribuindo sacolas nas estações de comboios, engraxando sapatos, vendendo mangas, e bolos e biscoitos feitos pela sua mãe.

Aos 12 anos, foi trabalhar com o seu pai, novamente exercendo várias funções, tais como cuidar da limpeza, e mesmo como garçom nos restaurantes. Por essa altura ele já amava cantar e ganhava todos os concursos de talentos promovidos pelos circos que passavam pela cidade, e fazendo bastante sucesso.

Depois de trabalhar como mecânico e sendo funcionário do Estado, mudou-se para Governador de Valadares, onde participava em todos os programas de rádio local, em particular no programa de domingo “Domingos de descanso”, adquirindo assim a alcunha de “Dom fafe de Caratinga”.

A sua carreira artística tem início, quando começa a cantar em novos programas de rádio em Governador Valadares e Belo Horizonte, onde tornou-se famoso como sendo “Cauby Peixoto de Minas Gerais”. Mesmo com este pequeno sucesso, ele continuou a trabalhar como motorista particular de Ângela Maria.

 O primeiro disco do cantor foi gravado em 1961, mas o sucesso só veio anos mais tarde, quando participou do programa de Jair de Taumaturgo, na extinta TV Rio. O álbum “Obrigado Querida”, que foi lançado em 1967, é um dos  maiores sucessos da carreira do artista, que estourou no Brasil com o hit  “Meu Grito” escrito por Roberto Carlos. Agnaldo também teve destaque ao interpretar a canção Ave-Maria. 

A sua trajetória política tem início em 1982 quando é eleito deputado federal no Rio de Janeiro pelo partido democrático trabalhista, no meio do seu mandato, por um pequeno desentendimento com o então presidente do partido Leonel Brizola, mudou-se para o Partido Socialisa, sendo reeleito em 1994 como Deputado Federal. Em 2004 é transferido para São Paulo onde foi eleito como conselheiro do “Partido Progressista”, mas por desentendimentos com Celso Russomanno, mudou-se para o “Partido Liberal” (agora o “Partido da Republica”). Onde terminou a sua carreira.

Agnaldo Timóteo deixou três filhos biológicos e uma filha  adotiva, e uma carreira musical bastante extensa que já fez a trilha sonora de várias gerações de amantes da música brasileira, e um marco no cenário político brasileiro.

 

Siomara Dência

Fonte:https://jovempan.com.br/

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês