Bali: Guia rápido de sobrevivência

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 

Sejam muito bem-vindos a Bali, a ilha dos Deuses! É um dos sítios mais bonitos no planeta terra, mas se não forem preparados pode tornar-se no exato oposto. Calma, vai correr tudo bem. Sigam só estas dicas. 

Os Balineses são pessoas de sorriso fácil, e que nos abordam sem qualquer vergonha para oferecer todo o tipo de serviços. O primeiro está claro, é o taxi! Deixo-vos aqui o meu primeiro aviso: os taxistas que estão no aeroporto à espera são aqueles que tentam pedir mais dinheiro do que seria razoável. Em Bali tudo se negoceia, exceto os taxis Bluebird, que funcionam com taxímetro. Se não tiverem organizado nenhum tipo de transporte para o hotel este será o método de deslocação que eu recomendo para sair do aeroporto, porque a partir do primeiro dia: mota! 

Segue uma rajada de “regras básicas” e desfazimento de mitos que é importante saber: 

– Não se bebe água da torneira. Nunca. Há até quem defenda que não se deve usá-la sequer para lavar os dentes.

– Cuidado com os chamados “Authorized Money Changer”. Quase todos se auto-intitulam “Autorizados”, mas a verdade é que há muitos malandros neste sítio. Quando forem trocar o vosso dinheiro, confirmem a taxa de câmbio e façam a conta na vossa calculadora também. Contem sempre o dinheiro em frente a quem o trocar. Porque muitos destes senhores são rápidos de mão e sacam uma nota ou duas ao passar-vos o dinheiro para a mão.

– Cuidado com os Multi-bancos. Verifiquem sempre que estão a levantar dinheiro num local com video-vigilância, e confirmem que a ranhura do cartão está bem fixa na máquina. 

– Podem beber o gelo. Podem comer a fruta. Este é um mito comum, mas a verdade é que é seguro fazê-lo desde que obviamente sejam num local de confiança. A chamada “Bali Belly” existe. Mas o mais provável é apanharem-na com um espinafre mal lavado ou com um “picante da casa” num Warung mais duvidoso. 

– Diz NÃO às drogas! E aqui não estou mesmo a brincar. Em Bali, existe a pena de morte para traficantes de droga. E quando falo em traficantes, refiro-me a pessoas que tenham em sua posse mais do que 5 gramas. Sim, é a quantidade que eles consideram como porte para tráfico. Se acham que eu estou a exagerar googlem “The Australian 9” para um pouco de realidade. 

Posto isto, passemos a coisas boas:

Se a vossa viagem a Bali for curta como a minha última foi, os 3 sítios que eu recomendo que visitem (E sim, são os mais visitados. Mas ainda assim, dentro dos mesmos, é possível fugir ao “roteiro do turista”) São Ubud, Canggu e Uluwatu.

Ubud

Para comer: Seeds of Life, Warung Sopa, Kafe, Watercress Cafe 

Para fazer: Ir à Cascata de Tegenungan. Ir às plantações de Café. Aula de yoga no Yoga Barn. Uma massagem no Starchild. 

Canguu

Para comer: Shady Shack, Poke Poke, La Fabbrica, 

Para fazer: Ir comer um côco fresco ao Ketut Warung na Echo Beach. Ir ao “La Brisa” ver o por do sol. Por do sol no The Old Man´s. Ir ao Deus Ex-Machina. Ir beber uma cerveja ao Pretty Poison. Ir ao Ku-De-Ta. Compras em Seminyak 

Uluwatu

Para comer: Cashew Tree, Comida tradicional Balinesa: Be Ja Na.

Para fazer: Ir a Pandawa Beach, Ir ao Garuda Wisnu Kencana Cultural Park. Ir ao OMNIA club. 

Martim Torres

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês