Grupo de ativistas Crespo Angola escreve carta aberta a Ministra da Educação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em nome do Movimento Social Crespo Angola, vimos em nome de toda a comunidade estudantil Angolana, pedir à sua Excelência, Sra. Ministra Luísa Grilo, que nos ajude a fazer o resgate das nossas raízes, como negros africanos que somos.

É de nosso conhecimento que milhares de estudantes estão a ser impedidos de ter acesso ao recinto escolar caso não cortem obrigatoriamente o cabelo, e muitos jovens ainda sofrem com restrições nos recintos escolares prejudicando assim o processo de aprendizagem. Sendo que, o cabelo crespo não interfere em nada no processo de aprendizagem e nem nos define como indivíduos. Mas é a nossa identidade visual, a forma como nos apresentamos ao mundo e a nossa identidade como homens negros Angolanos.

É lamentável, somos um país democrático e não termos o direito de escolha sobre como queremos nos identificar, seguindo padrões obrigatórios sobre a nossa própria escolha pessoal. É ainda mais triste sermos africanos e morarmos num país que é 90% constituído por pessoas negras e sofrermos com o colorismo nas escolas angolanas. Sendo que a escola é um lugar de aprendizado e não de repreensão, é o lugar onde as crianças e os adolescentes passam maior parte do tempo, não faz sentido existir um regulamento escolar a exigir o corte obrigatório do cabelo masculino e que vai contra os direitos humanos.

Esperamos por uma resposta por parte do Ministério da Educação o quanto antes a fim de solucionarmos juntos essas questões, que nos dividem como povo e nega o direito de escolha às crianças. O nosso cabelo não nos define como indivíduos numa sociedade, mas nos define como africanos dentro de uma sociedade africana que sofreu durante dois séculos com a colonização e a destruição da sua cultura e modo de vida.

A nossa luta é muito mais que uma questão de identidade individual. Estamos a lutar para resgatar a nossa identidade como povo africano lutando contra o preconceito, que por anos esteve presente nas nossas vidas, mas esta luta só poderá ser travada com a ajuda da Sra. Ministra.

Esperamos por uma resposta.

Obrigado

Por: Crespo Angola

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês