Felipe Oliveira Baptista deixa Direção Artística da Kenzo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ‘designer’ de moda português Felipe Oliveira Baptista vai deixar em junho a direção artística da marca Kenzo, data em que deixará de assumir as funções. Revelou a marca francesa, em comunicado, ao fim de dois anos de trabalho de Felipe Baptista como diretor criativo.

A notícia chega depois que Felipe Oliveira Baptista apresentou a mais recente colecção desportiva da Kenzo.

Citado pela AFP e por outros media franceses, Felipe Oliveira Baptista afirmou-se “muito honrado por ter estado ao serviço” da Kenzo e do património do seu fundador, Kenzo Takada, que morreu em outubro aos 81 anos, vítima de covid-19.

Quando foi anunciada a sua contratação em julho de 2019, o grupo empresarial Louis Vuitton Moët Hennessy (LVMH) afirmou, em comunicado, que “o talento de Felipe Oliveira como ‘designer’, o seu domínio do vestuário e suas raízes pessoais, com origem em culturas muito distintas”, constituíam “ativos reais para dar uma nova energia criativa à Casa Kenzo”.

Oliveira Baptista ingressou seguindo os oito anos de direção de Humberto Leon e Carol Lim na casa da LVMH. A última dupla levou a contemporaneidade e a modernidade para casa com seus motivos facilmente reconhecíveis (como o emblema do tigre) e peças sensíveis ao streetwear, sua mentalidade experiencial e sua rota rápida e acessível para o luxo para consumidores comuns na forma de colaborações de varejo.

Num sentido natural de quem vem depois, ocupa o lugar de quem o precedeu, mas no caso de Oliveira Baptista não poderia ser mais diferente, visual e cronologicamente. Em vez de se referir ao caminho de Humberto e Lim, Oliveira Baptista viajou no tempo para as inovações originais de Takada e teve como objetivo trazer de volta o tradicional – o tipo Kenzo. Inspirado nos arquivos da casa, Oliveira Baptista focou na liberdade, focou na cor, fundiu padrões artísticos e movimentos manobrados; assim como Takada, ele queria que as roupas fossem exuberantes, mas mesmo assim habitáveis. Mesmo no logotipo, Oliveira Baptista fez questão de prestar homenagem às raízes da casa, mudando a tipografia elegante e alinhada para letras construídas e destacadas e removendo “Paris” para exemplificar o impulso de Takada para a moda mundana e nômade.

 

A marca Kenzo foi fundada em 1970, em Paris, pelo ‘designer’ de moda japonês Kenzo Takada, e foi adquirida em 1993 pelo grupo internacional LVMH, que integra outras marcas como Givenchy, Fendi, Marc Jacobs, Louis Vuitton, Christian Dior e Loewe.

Felipe Oliveira Baptista entrou para a Kenzo depois de ter sido diretor criativo da Lacoste durante oito anos.

Nascido nos Açores em 1975, Felipe Oliveira Baptista cresceu em Lisboa e estudou em Londres. O percurso profissional na moda consolidou-se em Paris, depois de ter trabalho para as marcas Lemaire e Cerruti.

Em 2002 criou a primeira coleção em nome próprio, apresentada e premiada no Festival Hyères, em França.

 

 

Por: Edvaldo Salvador

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês