#Movember- Como identificar uma depressão?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Reconhecer que estamos a entrar em depressão é desafiador, já que muitos sintomas dessa doença, tida como uma das mais incapacitantes do mundo pela OMS (Organização Mundial de Saúde) são confundidos com uma persistente tristeza.

O autodiagnóstico, entretanto, é um primeiro passo fundamental, já que é a partir dele que compreendemos o quanto necessitamos do apoio dos familiares e de orientação psicológica  para tratar o distúrbio.

Quer saber como descobrir se você está a entrar em depressão? Então confira alguns sinais por trás dessa doença:

Cansaço constante e indisposição frequente

É difícil lidarmos com a própria motivação se a rotina em si é baseada em eventos estressantes, mas a depressão torna até mesmo actividades prazerosas em algo desagradável. Com isso, as actividades são substituídas por períodos de inactividade e o isolamento torna-se a melhor companhia. Caso não haja uma explicação para essa transformação no comportamento, convém buscar orientação psicológica para compreender a mudança.

Sensação contínua de tristeza

O que difere a tristeza habitual da depressão, segundo especialistas, é a frequência e a intensidade do sentimento: caso ela persista por mais de 15 dias, sem intervalos, é possível que a melancolia tenha um diagnóstico.

No entanto, é necessário investigar a origem desse desamparo. Primeiramente, um diálogo aberto com pessoas de confiança pode facilitar a busca por uma explicação, mas o diagnóstico e ajuda psicológica são mais que fundamentais nesse processo.

A mudança de humor, não só a tristeza, mas também aquela irritabilidade constante, onde tudo se torna motivo de aborrecimento e de reacções às vezes agressivas pode ser um sinal que merece atenção.

Alterações no apetite e no sono

Dormir demais (ou muito pouco) e sentir nenhuma (ou muita fome) são quadros sintomáticos comuns na pessoa deprimida.

É importante se atentar se existe algum motivo revelador por trás disso — transtornos como a ansiedade, por exemplo, podem alterar a qualidade do apetite e do sono— ou se essas dificuldades surgiram junto aos outros sinais que apontamos aqui.

Redução da capacidade de experimentar o prazer

Aos poucos, vai sumir o interesse pelas actividades, inclusive por coisas que a pessoa gostava. Tudo vai se tornar ou seja ficar sem gosto, sem prazer, até chegar a perda do interesse por qualquer actividade prazerosa, inclusive a actividade sexual.

Isolamento social

Uma luz vermelha se acende quando aos poucos você percebe que não tem vontade de participar das reuniões de família, das actividades sociais, do convívio familiar até com as pessoas mais próximas criando assim uma vida solitária, com contactos sociais cada vez mais restritos. E uma vida solitária vai se prolongado, ao ponto de chegar no nível de não sair mais de casa.

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês