O efeito 2020: as organizações podem realizar uma redefinição cultural ?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

2020 foi um ano difícil para muitas empresas sobreviverem aos efeitos negativos da pandemia, e não só, o impacto desta nova era, abarca desde as mudanças climáticas, o movimento das vidas negras  e o  sector socioeconômico, todos estes factores influenciam a forma como as organizações empresariais são vistas perante ao novo cenário que se impõe. Sendo que, muitas delas, viram-se obrigadas a demitir um número elevado de funcionários para sobreviverem a esse impacto.

E face a esse desafio, ainda assim  as organizações, têm a difícil missão de se imporem cada vez mais no mercado para garantir a sua reputação, a confiança do cliente, credibilidade  e manter a segurança aos seus profissionais dentro dos postos de trabalho. Neste contexto, as organizações são desafiadas a reinventarem-se para manter a sua afirmação no mercado.

Itens como: responsabilidade, segurança e comunicação transparente, foram temas centrais que geraram debates em  volta dessas mudanças sobre o questionamento da legitimidade das organizações empresariais. 

Afinal, como as empresas podem manter o seu pessoal à medida  que estas pessoas vão se tornando mais exigentes face ao actual capítulo que se vive ?

Como uma das possíveis soluções,  as organizações podem  começar por reflectir sobre a necessidade de redefinir ou reavaliar os seus valores culturais dentro da organização, com objetivo de  manter o seu pessoal a partir de quatro  qualidades ou valores, que são: a empatia, conectividade, comunicação transparente e compromisso com ação e impacto. 

  1. Empatia

Desenvolver empatia no trabalho, faz com que os trabalhadores sintam-se seguros e   demonstram respeito e admiração pela a organização. Esta qualidade influencia diretamente na produtividade e engajamento dos funcionários, permitindo que a organização tenha uma boa liderança e saiba conduzir seus trabalhadores a um bom porto. É uma qualidade muito importante que  as empresas devem promover, porque ajuda os líderes a compreenderem e oferecerem a flexibilidade, apoio e conselhos que se ajustam às suas circunstâncias particulares, e por outro lado, proporciona uma conectividade e aproximação entre funcionários e organização empresarial. 

  1. Conectividade

Exige que os líderes, em vez de realizar reuniões  virtuais, como tem sido frequente devido a pandemia, optem por  criar reuniões presenciais e fora do local de trabalho, pois as reuniões virtuais não compensa a falta de comunicação  e não deve substituir a necessidade de interagir e se conectar pessoalmente com os funcionários. E a partir deste valor, torna-se possível criar  reuniões entre funcionários e a organização, e também a oportunidade  de promover várias iniciativas fora do ambiente do trabalho.

  1. Comunicação transparente

Este valor, requer uma comunicação de qualidade, implica falar daqueles problemas que realmente afetam os trabalhadores, e deve ser a obrigação da empresa realizar um processo de auscultação com os funcionários para saber quais são as suas preocupações e trazer ou indicar as possíveis soluções.

Pois a transparência  entre entidade patronal e o empregado é um desafio na comunicação, e a ausência deste elemento ou qualidade impede que haja  empatia  entre os trabalhadores e a organização. Logo as organizações devem ter a responsabilidade de aprenderem a se comunicar frequentemente e de modo  aberto e eficaz com os funcionários. Nesta perspectiva, o importante não é disponibilizar a informação em massa, mas sim transmitir  uma informação de qualidade, isto é transmitir o significado que se pretende com a informação, apenas a informação útil aos trabalhadores. 

  1. Compromisso com ação e impacto

Este último valor mostra o quanto é importante as organizações  se comprometerem e agir em função daquelas questões que ajudam a construir a confiança dos funcionários. Isto implica, criar atividades ou programas que estimulam seus funcionários, oferecendo atividades que proporcionam um bem estar físico e mental. Assim como organizar uma partida de futebol, uma  excursão,  e em compensação  a empresa ganha funcionários felizes, bem dispostos, engajados, saudáveis e mais produtivos no trabalho.

Pois, para os trabalhadores, as organizações empresariais devem orientar ou redefinir a sua cultura em funções dos 4 valores aqui apresentados, porém, é um diferencial competitivo e fundamental no trabalho, para que as empresas ganhem funcionários confiantes, engajados e com bases sólidas para apoiar novas formas de trabalhar neste actual  cenário “ trabalho x pandemia”. 

 

 

Por: Siomara Dência

Fonte:www.ft.com

 

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês