Pais galinhas e os cuidados excessivos com os filhos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Querer o melhor para os filhos parece ser o mais comum e normal para quem quiser ser considerado um bom pai ou uma boa mãe. Mas há que se ter muito cuidado e atenção, caso contrário, o desejo pode se transformar numa obsessão com consequências duradouras irreparáveis. Satisfazer o desejos de uma criança, com  um telemóvel, playstation da actualidade ou até mesmo com  bolo 3D para uma festa são apenas alguns exemplos de cuidados questionáveis praticados por alguns pais. Um fenómeno crescente e que não faz distinção de idades, raças ou zonas de origem.

 

Conforme cresceu a preocupação geral de alguns pais-galinha, tudo indica que tentam  manter-se à parte da tendência da moda ou então mesmo de famosa frase “O meu filho ou filha terá tudo que nunca tive”. A argumentação é de que não há razão para que pais, que foram educados a ir a pé até à escola, façam passar os seus filhos pela mesma situação que já passaram, logo se nota uma grande chance destes pais a mimarem mais os filhos e até mesmo a ficarem obcecados com a segurança dos filhos.

A geração de pais que demoram mais a casar e a ter (pouquíssimos) filhos é a mais afectada por esta tendência de “overparenting” (pais com uma presença excessiva na vida dos filhos), como se afirma em Inglês. Kim John Payne, por exemplo, é a autor do livro “Paternidade Simples” e defende, entre outras medidas, um número mais reduzido de brinquedos.

Por: Rebecca Nahenda

 

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês