Qual é o homem do futuro? O novo imaginário colectivo sobre homens

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Homem não chora. Gosta de futebol e cerveja. Não perde uma oportunidade de fazer sexo. Está sempre a desejar e a abordar mulheres. É agressivo. Competitivo. Não veste rosa. Homem de verdade é provedor e bem-sucedido. Homem que cuida dos filhos, compartilha as tarefas domésticas e carrega sacola de compras é um frouxo que se deixou dominar. Essas e tantas outras afirmações sobre como os homens devem ser e se comportar são as bases para a formação do que hoje se conhece como “masculinidade tóxica”, que pode diferenciar o homem do futuro.

O desafio deste século deve ser construir um novo modelo social mais democrático, justo e igualitário, e para isso, é fundamental que os homens estejam cada vez mais dispostos a questionar o modelo tradicional de masculinidade, a renunciar aos privilégios que recebem do sistema actual, a se libertar do peso de uma masculinidade mal entendida e a se comprometer, junto com as mulheres, de maneira activa, na realização de um mundo melhor para todas as pessoas, que permita melhorar as possibilidades do desenvolvimento humano.

Qual é o homem do futuro? Se a pergunta fosse feita há alguns anos, a resposta envolveria a valorização da heterossexualidade, agressividade, força física, status financeiro e sexual. E, se a publicidade está a aprender a evitar estereótipos sobre mulheres, o público consumidor cada vez mais cobra pela desconstrução de ideais masculinos. Desta feita, algumas mulheres não passariam por grandes dificuldades a tentar descobrir sinais de quando é que um homem é o parceiro ideal para se casar.

O homem do futuro acabará por ser um homem com uma estrutura mental diferente em relação aos preconceitos do género, mais aberto para ajudar a esposa no âmbito familiar e com um comprometimento maior em relação a muitas tarefas antes conhecidas como exclusivas para as mulheres, uma vez que acaba por ter consciência de que muitos dos esteréotipos sociais existentes só prejudicam a boa convivência e impedem o seu crescimento e liberdade de ser e de agir.

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês