Timeless: Sindika Dokolo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O  tempo passa. A saudade aumenta! E as memorias? As memorias ficarão para sempre. 

Hoje é mais um dia, que a revista “DIVO”, presta homenagem, as estrelas que já se foram, mais que as suas luzes, permanecem acessas nos nossos corações. Por este motivo, acendemos a vela em prol do seu reconhecimento a arte africana, a “Sindika Dokolo”, nascido aos 16 de março de 1972, no antigo Zaire, actual República Democrática do Congo.

Sindika, foi um coleccionador de arte e empresário. Enquanto amante da arte detinha uma das mais importantes colecções de arte contemporânea africana, com cerca de três mil obras. Por iniciativa do pai, com apenas 15 anos de idade, começou a constituir uma colecção de obras de artes. Com o objectivo de criar um centro de arte contemporânea, de providenciar as condições e actividades necessárias para integrar os artistas africanos, nos círculos internacionais do mundo da arte. Em Luanda, Sindika Dokolo constituiu a Fundação Sindika Dokolo, a fim de promover as artes e festivais de cultura em Angola e em outros países.

 

Já com uma longa caminhada do mundo das artes, em dezembro de 2013, Sindika Dokolo marcou presença na inauguração da VII Bienal de São Tomé a Príncipe, exposição internacional de arte daquele país, na qual foram expostas obras da Fundação Sindika Dokolo. Sindika não parou por ali, no seguinte ano participou na maior feira mundial de arte africana, a “1:54” que decorreu na Inglaterra, em Londres com a participação de diversas personalidades, entre as quais Lupita Nyong’o.  Neste evento foram vários os artistas e celebridades, manifestaram publicamente o seu apoio e agradecimento pelo trabalho do coleccionador, destacando o papel que a Fundação Sindika Dokolo tem desempenhado no desenvolvimento da arte contemporânea africana.

Em março de 2015, Sindika Dokolo foi distinguido com a Medalha de Mérito pela Câmara Municipal do Porto, a propósito da exposição de arte contemporânea “You Love Me, You Love Me Not”. Esta homenagem é o reconhecimento da cidade pelo contributo de Sindika Dokolo, que permite à cidade do Porto desenvolver um dos projectos mais relevantes no âmbito da arte contemporânea da actualidade, ajudando a estabelecer uma ponte singular entre a cidade e o mundo. Entre varios caminhos percorridos no mundo das artes e empresarial, aos 29 de outubro de 2020, Sindika Dikolo deixa o mundo dos vivos.

 

 

 

SUBSCREVA HOJE

Tenha acesso às notícias dos famosos
pt_PTPortuguês
en_USEnglish pt_PTPortuguês